Skip to main content

Marketing é caro?

Como qualquer coisa, marketing também tem um custo. É preciso fazer investimento financeiro. Mas nem toda ação de marketing precisa ser necessariamente cara para ser de sucesso.


“Eu sei que nossa empresa precisa de marketing, mas agora não tenho como investir”. Quantas vezes você já ouviu (ou quem sabe falou) essa frase? Marketing não é uma das prioridades de boa parte dos empresários, principalmente de menor porte. O foco é sempre abrir mais uma loja ou melhorar a produção, por exemplo. De fato são importantes para uma empresa, mas deixar o marketing de lado ou em segundo plano pode fazer com que esses investimentos priorizados não rendam tanto quanto se imagina.

Existem “n” ações de marketing, das mais diversas. Dentro dessa variedade, uma das diferenças entre elas é o custo. Se você tem uma empresa de micro ou pequeno porte, pensar em colocar um comercial na televisão em horário nobre pode estar muito longe da sua realidade, mas quantas ações são totalmente possíveis, mas não estão sendo feitas?

Seu cliente em potencial está online

A internet é uma febre há anos e se tornou umas das grandes opções em investimento de marketing para empresas de todos os portes, mas principalmente de pequeno e médio portes. Por ter um custo menor, a grande aposta tem sido se divulgar no ambiente digital.

Mas só vale a pena porque o custo é menor? Não! 73% dos internautas afirmaram que recorriam à internet para pesquisar sobre produtos antes de comprar. O brasileiro é o povo que passa mais tempo no Facebook. 46% das pesquisas realizadas no Google tem relação com produtos. A popularização do smartphone facilitou ainda mais o acesso à internet. 92,1% dos domicílios brasileiros acessam a internet por meio do telefone celular.

A internet é muito mais do que uma forma de aproximar pessoas. Tornou-se um imenso catálogo de produtos e empresas. Se sua empresa está online, ela vai vender mais!

Dicas: (1) Um trabalho de marketing digital requer planejamento. Pesquise quem realmente é seu cliente em potencial e entenda-o o máximo possível. Isso vai tornar sua comunicação mais assertiva; (2) Se sua empresa não tem um site ou páginas nas principais redes sociais, crie o quanto antes. Além de ser uma excelente ferramenta de divulgação, você vai poder “ouvir” seus clientes e melhorar cada vez mais; (3) Informe-se! Marketing não é simples e o marketing digital engana, porque para muitos funciona fazendo alguns posts nas redes sociais e pronto, mas não é assim. Estude, pergunte, seja curioso. Se não tiver tempo ou vontade, procure alguém que possa dar esse suporte.

A internet te dá uma possibilidade que nenhum outro meio dá: avaliar as ações em números. As estratégias online geram relatórios exatos de quem, onde e como sua ação foi vista. Mais do que simples dados, essas informações mostram o que funcionou ou não. A partir disso, é possível ajustar e se tornar cada vez mais eficiente.

Bom atendimento fideliza e traz novos clientes

Todos nós gostamos de ser bem atendidos, mas já passamos pela experiência da situação contrária. A decepção é grande e a vontade de voltar a consumir naquela determinada empresa acaba, mesmo que o produto seja muito bom.

Uma pesquisa comprova esse comportamento: 69% dos consumidores preferem bom atendimento à preço baixo.

Dicas: Faça com que o cliente se sinta importante e mostre que a satisfação dele é sua prioridade. Seja cordial e demonstre boa vontade. Para o cliente, tempo é importante. Por isso, atenda-o de forma ágil, sem deixar de lado a qualidade do atendimento. Evite expressões como “você está errado”, “não pode” ou qualquer outra negativa. Um “acredito que essa não seja a melhor forma. Que tal tentarmos assim?” faz com que o cliente entenda a sua mensagem, mas não demonstra agressividade. Se seu negócio é físico, mantenha o ambiente limpo e confortável. Estar em um local agradável faz a experiência do cliente ainda melhor.

Bom atendimento também pode trazer novos clientes, através do famoso “boca a boca”. Com certeza, se um conhecido de um cliente seu precisar de um produto que você comercializa, você será mais do que mencionado como opção, mas indicado como a empresa certa para tal.

Mas existe um grande segredo para um bom atendimento: empatia. Se coloque no lugar do seu cliente. Pense: como eu gostaria de ser atendido? Isso já vai fazer com que boa parte do que citamos acima seja aplicado de forma natural e eficiente.

Faça com que seu cliente não se esqueça de você.

Acabamos de falar de bom atendimento, o que faz com que o cliente passe a ser um fiel consumidor dos seus produtos. Mas não dá pra confiar na memória das pessoas. Por isso, uma boa forma de mantê-lo é ter um bom relacionamento pós-venda.

Mantenha-se sempre à vista ou “à memória” do cliente. O objetivo do relacionamento pós-venda é que essa pessoa ou empresa que já comprou seus produtos tenha você como referência.

Dicas: (1) Faça um trabalho de e-mail marketing segmentado. Envie para seus clientes promoções ou lançamentos de produtos que sejam interessantes para ele. (2) Uma ação interessante é ligar. Sim, ligue e pergunte se ele gostou do produto que adquiriu. Nessa mesma ligação, você pode também falar de novos produtos ou promoções. (3) Mensagens em datas comemorativas, como fim de ano e aniversários, fazem com que a pessoa crie um sentimento ainda mais afetivo com sua empresa.

As ações de marketing nem sempre necessitam de um investimento financeiro alto e devem ser realizadas frequentemente, sem interrupções, mesmo em situações de crise. Invariavelmente, o marketing é o primeiro a ser cortado em momentos desfavoráveis. No entanto, é ainda mais importante em cenários ruins, pois irá impulsionar a sua empresa a sair do vermelho.

O principal objetivo de um empreendedor é manter sua empresa viva, com crescimento sustentável e por um longo tempo, mas o mercado não é simples. Concorrência, mudança de comportamento nas pessoas, economia, entre outros fatores, fazem com que o cenário mude, muitas vezes de uma hora pra outra. O trabalho do marketing é fazer com que sua empresa siga firme, independentemente da situação.

No fim das contas, em vez de pensar “quanto custa fazer?”, pense “quanto custa NÃO fazer?”. Ações realizadas estrategicamente e focadas em resultados trarão para a empresa um retorno maior do que a economia de não fazer.

David Duarte

Profissional de Marketing, apaixonado por negócios e empreendedorismo. david@laloco.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *